Secom de Braide terceiriza publicidade e produtora deixa profissionais sem dinheiro

A secretaria de Comunicação (Secom) da Prefeitura de São Luís está no centro de mais um escândalo prestes a estourar.

Segundo denúncia a qual tivemos conhecimento, profissionais do audiovisual maranhense estão sem receber por serviços prestados a uma produtora contratada pela agência de publicidade a qual Igor Almeida, chefe da Secom de Braide, confiou os esforços de comunicação da administração municipal.

A secretaria colocou sob responsabilidade da Phocus Propaganda e Marketing Ltda, que tem como sócios os publicitários Daniel Caracas, Danilo Blume e Tiago Albuquerque, os trabalhos publicitários da gestão, como produção de filmes (VTs) para a televisão, comerciais para rádio (spots), entre outras mídias.

Acontece que, para os trabalhos de vídeo, a agência repassou o serviço para a produtora Rm Media House LTDA, empresa aberta em 2017 pelo publicitário Raul Mateus, cujo capital social é de modestos R$ 50 mil reais.

Mesmo sem porte para atender aos serviços da prefeitura de uma capital de estado, a empresa recrutou profissionais para produzir os conteúdos publicitários e não teria honrado com os pagamentos oferecidos a estes. Trabalhos feitos há pelo menos seis meses estariam em atraso, deixando dezenas de trabalhadores em estado de penúria.

No site da agência, não consta a Prefeitura de São Luís na cartela de clientes, mas, no site da produtora, estão em destaque dois vídeos: um sobre obras de asfaltamento e outro de São João.

Eles tentam chamar a atenção do prefeito Eduardo Braide (PSD) para a situação, já que a decisão de contratar a Phocus, que contratou a RM Media House, foi de um dos secretários mais próximos de sua gestão.

Deixe uma resposta