Pagamento motivador de assassinato foi feito pela SEDUC nove dias antes do crime 

Mais detalhes sobre o pagamento de R$ 778.449,92, citado como motivador do assassinato de João Bosco Pereira Oliveira Sobrinho, apontado como cobrador do vereador Beto Castro (Avante), no último dia 19 de agosto, vieram à tona. 

Os recursos são oriundos da Secretaria de Estado da Educação (SEDUC) do Maranhão e estavam devidos à empresa de segurança S H VIGILÂNCIA E SEGURANÇA EIRELI desde o exercício anterior. Os dados constam no Portal da Transparência do Governo do Estado, uma vez que os valores foram quitados no último dia 10 de agosto – nove dias antes do crime.

Esta é a primeira contradição no caso, uma vez que, em depoimento do autor confesso do crime, Gilbson César Soares Cutrim Júnior, é apontada uma empresa denominada H C EIRELI. 

Outro fato relevante é que o valor de R$ 778.449,92 levou 24 horas, entre empenho, liquidação e pagamento, para ser efetuado. Tempo recorde para operações do tipo. 

O assassinato de João Bosco Pereira Oliveira Sobrinho ocorreu no último dia 19 de agosto, em um prédio comercial na capital São Luís, na presença do parlamentar. Confira o depoimento completo aqui

Deixe uma resposta