Desfalque à vista: R$ 600 milhões a menos nos cofres do Maranhão

O empréstimo feito pelo Estado do Maranhão junto ao Bank Of América, no valor total de R$ 661,9 milhões, continua gerando dores de cabeça no Palácio dos Leões. Isso porque o atraso no pagamento da dívida pode resultar no desconto do valor integral pelo Governo Federal no Fundo de Participação ao qual o estado tem direito.

Como o Tesouro Nacional foi o avalista do Estado na contratação do empréstimo, o órgão quitou uma das parcelas da dívida. Porém, no mês de julho, caso não haja acordo entre os entes federativos, o Governo Federal irá recolher todo o passivo dos valores que o Maranhão tem a receber.

O Governo do Estado deveria destinar, em dois semestres, o valor de R$ 300 milhões, como pagamento da dívida. Mas no início de 2020, por conta da pandemia, o Supremo Tribunal Federal autorizou a suspensão do pagamento, por conta do combate ao novo coronavírus. No entanto, passada a emergência sanitária, o planejamento não foi retomado.

A informação foi confirmada pelo secretário-chefe da Casa Civil, Sebastião Madeira.

Deixe uma resposta