Brandão oferece até o que não tem para atrair Edivaldo

As investidas por apoios políticos nesta reta final de pré-campanha prometem ser intensas até o último minuto. E o Palácio dos Leões parece disposto a tudo para conseguir novos passageiros que aceitem embarcar no ferry encalhado Dino-brandonista. 

Desde a semana passada, está em curso uma operação de guerra para conseguir a desistência do pré-candidato do PSD, Edivaldo Holanda Júnior. O ex-prefeito de São Luís, que pretende disputar o Governo do Maranhão, vem sendo bombardeado por todos lados e, em breve, deve receber já conhecido telefonema do bastidor político…

O início de tudo foi a última pesquisa contratada por um blogueiro governista, que colocou Edivaldo atrás do governador-tampão nas intenções de voto em seu reduto eleitoral, São Luís. Holanda deixou o Palácio de La Ravardière com aprovação recorde e sua pré-candidatura só chega aos dois dígitos nos levantamentos estaduais justamente pelos bons índices que seu nome ostenta na capital. 

Pressões estão emergindo, inclusive, de dentro do apartamento do ex-prefeito na área nobre da Ilha do Amor. Soma-se isso à proposta tentadora que os Leões teriam a ele: o eventual apoio palaciano – sob comando de Brandão – na disputa à Prefeitura de São Luís em 2024.

Para isso, Edivaldo desistiria de tentar um cargo majoritário em 2022, buscando retornar à Câmara Federal, de onde saiu uma década atrás para assumir a chefia do executivo ludovicense.

Resta combinar tudo isso com dois atores políticos: o presidente do PSD estadual, Edilázio Júnior, e o atual prefeito (e naturalmente postulante à reeleição) Eduardo Braide. 

Deixe uma resposta