Mais de 200 escolas dignas deixaram de ser erguidas para alimentar Orçamento Secreto de Brandão

Um dos indicadores mais importantes para um estado são os educacionais e, nestes, o Maranhão habitualmente ocupa os últimos lugares. Esta realidade, no entanto, poderia ser substancialmente melhorada com o investimento correto por parte do poder público. 

Se os R$ 64,9 milhões do Orçamento Secreto da Saúde, que ganhou as manchetes desde a última semana, fossem aplicados na educação dos maranhenses, os benefícios presentes e futuros seriam imensuráveis. Mas existem dados a que podemos nos apoiar.

Se a aplicação fosse no programa “Escola Digna”, de reforma, construção ou reconstrução de unidades de ensino, 240 escolas poderiam ser implementadas com o valor destinado à cooptação meramente eleitoreira. Isso atenderia o princípio básico constitucional da educação pública de qualidade, oferecendo condições de ensino e aprendizagem a milhares de alunos.

Já se a opção fosse pela implantação de Núcleos de Ensino Integral (NEIs), 11 destes pólos poderiam beneficiar diferentes municípios maranhenses, atendendo uma base estimada em 50 mil alunos. 

Ao invés disso, preferiu-se utilizar da verba milionária para garantir o apoio de quem permanece aliado e trazer de volta quem debandou do projeto de poder palaciano, capitaneado por Flávio Dino (PSB) e Carlos Brandão (PSB). E assim o povo maranhense vai seguindo em segundo plano no “Novo Maranhão… 

Deixe uma resposta