Restaurante de luxo é contratado para fornecer refeições ao Socorrão II

O caos revelado recentemente no fornecimento de alimentação a pacientes, acompanhantes e colaboradores nos hospitais públicos de São Luís levou a gestão do prefeito Eduardo Braide (PSB) a contratar emergencialmente uma nova empresa para realizar o serviço. A escolha da administração municipal, no entanto, suscita suspeitas.

O objeto do contrato para o qual foi contratada a A J MGMA COMERCIO DE BEBIDAS E ALIMENTOS LTDA é claro:

“Contratação emergencial de empresa especializada no fornecimento contínuo de nutrição e alimentação hospitalar de refeições prontas na forma transportada, visando o fornecimento de dietas gerais e específicas destinadas à pacientes (adultos e infantis), além de refeições para funcionários e acompanhantes, assegurando uma alimentação balanceada e em condições higiénico-sanitárias adequadas para atender as necessidades da Unidade de Saúde Hospital de Urgência e Emergência Dr. Clementino Moura – Socorrão II e casa de parto Nazira Assub, vinculadas à Secretaria Municipal de Saúde/SEMUS”.

Um dado que chama atenção logo de cara é o Capital Social informado pela própria empresa: R$ 130.000,00. Para um contrato cujo valor global ultrapassa os dez milhões de reais.

Além de se colocar em xeque a capacidade da empresa em atender ao objeto do contrato, deve-se observar o principal negócio administrado pelo CNPJ 295.397.360/0011-4: franquias do restaurante Mercado d’Minas, que ocupa dois endereços em áreas de classe média-alta e alta da capital maranhense.

Além dos estabelecimentos situados nos bairros Cohama e Ponta d’Areia, o Mercado d’Minas está com instalação montada no Arraial do Ipem, cujas críticas pelo elevado ticket médio de consumo se avolumam nas redes sociais.

Será que a alimentação disponibilizada desde o último dia 5 de junho nas unidades de saúde municipais se assemelha ao padrão de qualidade dos pratos servidos nos restaurantes de luxo?

A conferir…

Deixe uma resposta