Dino e Brandão sequer compartilham o mesmo ar

As relações entre Flávio Dino e Carlos Brandão continuam estremecidas. Os pré-candidatos ao Senado Federal e ao Governo do Maranhão, respectivamente, evitam encontros a qualquer custo. Somente aparecem publicamente juntos quando a situação é a única possível.

Nas inserções partidárias de rádio e televisão do PSB Maranhão, por exemplo, a computação gráfica foi a solução utilizada para reunir a dupla, que anda batendo cabeça desde a tumultuada entrega de faixas. 

Como você leu em Verdade 98, a escolha do atual titular da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Tiago Fernandes, por indicação de Luís Fernando Silva, gerou um rompimento de relações por parte do ex-governador, que queria que Marcos Grande – atualmente, pré-candidato a deputado estadual – ocupasse o posto. 

Dino teria dito a Brandão, ainda, que se a pasta da Saúde fosse entregue ao ex-prefeito de Ribamar e a Sebastião Madeira (atual secretário-chefe da Casa Civil), o governador-tampão não ganharia a eleição de outubro, na qual tentará a reeleição.

À época, quem fazia a necessária – para o projeto de poder dinista – interlocução entre o ex e o atual governador era o ex-secretário da Casa Civil e pré-candidato a deputado estadual, Marcelo Tavares.

Houve um desmentindo a esta informação nas redes sociais, dias depois. Mas, pelo visto, tudo não passou de jogo de cena.

Deixe uma resposta