Contratação milionária de cestas básicas pelo Governo Brandão é alvo de desconfiança

Em plena expansão pelo Norte e Nordeste, os Supermercados Mateus terão um aditivo de 10 milhões de reais em seu estado de origem, o Maranhão. 

É o que mostra a publicação realizada no Diário Oficial, em 24 de junho, que dispensou de licitação a contratação de 150 mil cestas básicas, com o pretexto de “atender famílias em risco, impactadas por chuvas e enchentes no Estado”.

O timing governamental mostra um descompromisso com o suposto objetivo-fim. As tais chuvas e enchentes, como é de conhecimento público, ocorreram no início de 2022. Já estamos às vésperas do segundo semestre.

Outro subterfúgio utilizado foi a pandemia da COVID-19, que, tamanha regressão vista em todo o mundo e no Maranhão, já se encontra em estágio de normalidade – não existem mais restrições ao trabalho e ao lazer, por exemplo, vide o alardeado “Maior São João do Brasil” que o Governo Brandão vem promovendo.

A assinatura no pedido é de Lívio Correa, ex-presidente da Agência Executiva Metropolitana (AGEM) e atual subseceretário da pasta de Desenvolvimento Social (SEDES).

Ao passo que se faz a aquisição milionária, se multiplicam as entregas de alimentos por todo o Maranhão. O que abre margem para desconfiança de se tratar de medida eleitoreira passível de sanções pelos tribunais responsáveis. 

Deixe uma resposta