Brandão e o “orçamento secreto” pra chamar de seu 

A cada detalhe que se revela, percebe-se que apenas o puro e incauto Flávio Dino (PSB) é veemente contra o mecanismo do “orçamento secreto”. Diferente daqueles que o cercam, caso do governador-tampão Carlos Brandão (PSB).

O pré-candidato palaciano ao Governo do Maranhão injetou R$ 64,9 milhões nos municípios em que prefeitos aliados são os gestores. O montante foi repassado nas chamadas “transferências fundo a fundo”. Somente num intervalo de 18 dias – 13 de junho a 1 de julho – 56 movimentações foram realizadas diretamente à conta bancária das prefeituras, vindo do Fundo Estadual de Saúde. Os valores variam entre 400 mil e 2,5 milhões de reais. 

Os recursos teriam como justificativa o pagamento de emendas impositivas, indicadas, convenientemente, por deputados estaduais aliados. 

Município administrado pelo ex-deputado Toca Serra (PCdoB), Pedro do Rosário desponta na liderança dos valores recebidos. São R$ 4,8 milhões em recursos extras recebidos do fundo a fundo. Na sequência, aparecem Parnarama, Açailândia, Timbiras e Santa Inês, com valores acima dos R$ 2,5 milhões, cada.

Completam a lista de maiores beneficiados os municípios de São Domingos do Maranhão, Colinas, Grajaú, Barreirinhas, Arame e Matinha. Cada um recebeu repasses na casa dos R$ 2 milhões. Em comum entre eles, a aliança dos gestores municipais com o projeto de poder Dino-brandonista.

Toda essa movimentação não ocorre sem anuência do atual titular da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Tiago Fernandes (PP), advogado que recentemente entrou na política e que tem como padrinho político o ex-prefeito Luís Fernando Silva (PSDB).

Esse rio corre, ainda, debaixo das barbas do Ministério Público do Maranhão e do Tribunal de Contas do Estado…

Deixe uma resposta