Sem expressividade política e com apoiadores fracassados, Carlos Brandão se perde em pré-campanha 

Faltando poucos meses para as eleições, o Governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSB) – que perdeu completamente o ritmo da pré-campanha – vem tentando se articular e correr atrás do prejuízo; mas a situação não está nada fácil e o sonho de uma reeleição está cada vez mais distante. Com um grupo político fraco e cheio de vícios, Brandão passou a ficar com as “sobras” de Weverton Rocha (PDT). O governador só pega os grupos “nanicos”, que vendem uma imagem de “espoca urna”, quando, na verdade, não conseguem eleger sequer um candidato a síndico de prédio. 

Um bom exemplo disso está em São José de Ribamar. Weverton Rocha ganhou o apoio do prefeito Dr.Julinho (PL), que dispara em todas as pesquisas de aprovação de governo. Por outro lado, Brandão vem fazendo “pose” ao lado de um grupo sem nenhuma representatividade no município. 

Uma seleção fraca e queimada. No time, tem Junior Lago, vice-prefeito da cidade, um empresário imaturo e sem musculatura política, que teve a sorte de pegar carona na popularidade de Julinho. Quem era Junior Lago em São José de Ribamar?  Pois é… Nada! E, na primeira oportunidade, como prefeito em exercício, tentou puxar o tapete do chefe do executivo que até se esforçou para colocar o desconhecido nas graças do povo. 

Na escalação, vem o vereador Dudu Diniz, que até agora não mostrou para que veio. Sem projetos expressivos, sem carisma e sem credibilidade com povo e com a classe política, o novo presidente da Câmara Municipal de Ribamar é só um menino perdido aprendendo a engatinhar. Teve até uns votinhos na última eleição, mas, se fizer uma rápida pesquisa, a rejeição é grande; sem trabalho, sem voto. 

Eudes Sampaio dispensa até comentários, tá mais sujo que pau de galinheiro, fez uma das piores gestões que o município já viu. Dizem que o povo ribamarense quer ver o próprio “cão”, mas não quer ver Eudes. Mas não para por aí, tem Tiago Fernandes, que foi secretário de saúde do município, e que só é lembrado na cidade quando se fala dos escândalos envolvendo seu nome. Parece que o jovem andou aprontando poucas e boas com o dinheiro público e até hoje responde processo. Edson Junior, que já se candidatou várias vezes sem sucesso, parece até ter desistido da vida pública, porque as coisas já não estão boas para seu lado e, na primeira oportunidade, o cidadão se junta com gente pior que ele. 

O único motivo de Dino apoiar Brandão é que essa nova oligarquia quer, a todo custo, ter uma “água de chuchu” no comando, já que isso facilitaria o acesso a cargos, grana e impunidade. 

Vamos acompanhando esse circo, já que inda tem muita coisa pela frente. Mas, nesse ritmo, Brandão vai montar que água de chuchu realmente não faz mal a ninguém, que Camarão pode morrer na maré e que foguete quando decola, não tem ré.

Deixe uma resposta