Dono de TV frustrado pega carona em ferry quebrado palaciano para tentar voltar à política

Manoel Ribeiro perpetuou-se na Assembleia Legislativa do Maranhão (ALEMA) por longos 24 anos. Eleito pela primeira vez em 1990, logrou êxito em todas as disputas para deputado estadual que se seguiram, até esbarrar nas eleições de 2014.

No pleito eleitoral deste ano, o ex-parlamentar tentará voltar ao Palácio Manuel Beckman, desta vez, embarcando na malfadada nau palaciana – capitaneada por Flávio Dino (PSB) e Carlos Brandão (PSB).

Filiado ao MDB de Roseana Sarney, que se entregou de corpo e alma ao Dino-brandonismo em troca de algumas migalhas no segundo escalão do governo-tampão, o proprietário do Sistema Maranhense de Radiodifusão Ltda surpreendeu até mesmo quem acompanha o bastidor político de perto com sua pretensão.

Além da política, Manoel Ribeiro tem na comunicação outro de seus afazeres. A TV Maranhense (antiga TV Praia Grande) ainda existe, por incrível que pareça. Afiliada à nanica Rede Brasil de Televisão desde que perdeu, na Justiça, o contrato de retransmissão que detinha com a TV Bandeirantes, o intervalo comercial do canal é um imenso vazio. Sem audiência, sem anunciantes.

O único programa produzido, aos trancos e barrancos, nos estúdios da Rua São Pantaleão – Centro Histórico da capital maranhense – é o talk show de baixo orçamento e alto puxa-saquismo comandado por um blogueiro ludovicense.

Em suma, estas são as credenciais de Manoel Ribeiro para voltar à política.

Deixe uma resposta