A montanha-russa dos bens de Brandão

Com evolução patrimonial flutuante ao longo dos anos, é bem curiosa a declaração de bens do governador-tampão Carlos Brandão (PSB), agora na condição de candidato à reeleição ao Governo do Maranhão, tornada pública neste sábado (13).

Postulante a cargos públicos sequencialmente desde 2006, quando foi candidato à deputado federal e declarou patrimônio de R$ 65.494,80, os valores informados caíram e subiram desde então, em movimentações que desafiam qualquer lógica.

Quatro anos depois, em 2010, quando pleiteou a reeleição à Câmara dos Deputados, seus bens declarados totalizavam R$ 291.004,85. Dois veículos e um substancial aumento monetário em conta corrente compunham a lista.

Para 2014, ano em que disputou a vice-governadoria na chapa de Flávio Dino, Brandão registrou ligeira queda patrimonial para R$ 276.426,57.

Em 2018, tentando mais quatro anos como vice-governador, a derrubada foi brutal: módicos R$ 69.686,17 compunham o patrimônio declarado de Carlos Brandão. Já não havia mais veículos, tampouco dinheiro em conta corrente. Apenas um terreno, quotas de capital e aplicações em poupança.

Agora, em 2022, a remontada fez com que a lista de bens declarados de Brandão fosse a maior que se tem registro na Justiça Eleitoral, ostentando o valor de R$478.725,94.

Para quem gosta de emoções fortes, acompanhar o sobe e desce dos bens do governador-tampão é um prato cheio!

Deixe uma resposta